Prefeitura realiza mais de 2 milhões de acolhimentos na Operação Baixas Temperaturas

0
11 views

A operação foi antecipada neste ano devido à pandemia e o frio intenso em São Paulo

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), realizou 2.039.686 de acolhimentos de pessoas em situação de rua (uma pessoa pode ser acolhida mais de uma vez) e entregou mais de 54 mil cobertores entre 30 de abril e 30 de setembro deste ano, período de execução da Operação Baixas Temperaturas.

Conforme dados do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), dos 153 dias de operação, 62 registraram temperaturas abaixo de 13º graus. “A população em situação de rua teve acolhimento com qualidade, inclusive em hotéis, com banheiros privativos, refeições e atendimentos social”, explica a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Giannella.

Durante os plantões noturnos, 28.988 acolhimentos foram realizados pela Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS) e tiveram 2.452 recusas. Para as pessoas que não aceitaram o acolhimento, foram distribuídos 20.443 cobertores. Neste ano, a Central 156 recebeu 97.523 ligações atendidas para abordagens.

Durante o dia, os orientadores socioeducativos que atuam nos Serviços Especializados de Abordagem Social (SEAS) fazem as abordagens em pontos estratégicos da cidade, ofertando encaminhamentos à rede de acolhimento e outros serviços da rede pública. A população também pode ajudar as pessoas em situação de rua solicitando uma abordagem social por meio da Central 156, que também funciona 24 horas por dia.

Nos serviços de acolhimento, os conviventes recebem kit de higiene, acesso a banho e a refeições (café da manhã, almoço e jantar) e podem ser encaminhados para outras políticas públicas de acordo com a demanda. Atualmente, a cidade de São Paulo possui 106 serviços de acolhimento para a população em situação de rua.

Nestes cinco meses da Operação foram aditadas 1.047 vagas em centros de acolhida e hotéis por conta da onda de frio. Dessas, 357 fazem parte da ampliação dos hotéis Rivoli, Downtown e Natal. As instalações hoteleiras foram transformadas em Centros de Acolhida Especiais (CAE) e promovem segurança e distanciamento social em especial para famílias e população idosa em situação de rua.

Ação intersecretarial
A Operação Baixas Temperaturas é uma ação intersecretarial entre as secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Cidadania, Saúde, Segurança Urbana, Mobilidade e Trânsito, Subprefeituras, Inovação e Tecnologia e Esportes e Lazer.

As secretarias colaboraram para a execução e ampliação de vagas para atendimento como os clubes esportivos. Foram criadas 470 vagas, sendo 230 no Clube Esportivo Tietê e 240 vagas no Clube Pelezão. Já a SPTrans disponibilizou ônibus em pontos específicos do centro para transportar as pessoas dos cinco pontos de partido fixos até os Centros de Acolhida.

A Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, no período de baixíssimas temperaturas, instalou cinco tendas em seis dias de funcionamento e distribuiu mais de 15 mil agasalhos e cobertores à população em situação de rua. Foram distribuídas 23.067 sopas e 23.746 bebidas quentes durante a iniciativa emergencial, além de 110 atendimentos para animais de estimação. A ação contou com o apoio e doações da sociedade civil e de organizações do terceiro setor e privadas.

A equipe do SEAS da Assistência Social atendeu a população em situação de rua nas tendas e encaminhou 1.554 pessoas para acolhimento na rede socioassistencial, 59 para documentação e distribuiu 313 cartões do Bom Prato, na Praça Princesa Isabel, Sé, Miguel Dell’erba, Floriano Peixoto, no Largo da Concordia, além da tenda do Governo do Estado de São Paulo, no Parque Dom Pedro II, no período de baixíssimas temperaturas. As 32 subprefeituras intensificaram as ações na operação nas ruas com as equipes locais distribuindo cobertores, além da entrega de sopas e bebidas quentes.

Redenção na Rua
No período de 30 de abril até o momento, o Redenção na Rua e o Consultório na Rua executados, respectivamente, pela Secretaria de Governo Municipal (SGM) e pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizaram 29.786 abordagens a pessoas em situação de rua e 22.810 atendimentos voltados a cidadãos avaliados como vulneráveis à hipotermia. Os atendimentos em saúde são realizados das 7h às 22h, nas seis regiões da cidade.

Durante a pandemia do coronavírus, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria da Saúde, realiza busca ativa por sintomáticos respiratórios entre pessoas em situação de rua, oferecendo testagem sorológica e coleta de exame RT-PCR para detecção da infecção por coronavírus. Atualmente, os casos suspeitos e confirmados são acolhidos em Centro de Acolhida Especial (CAE) na Vila Clementino.

Entre abril de 2020 e agosto de 2021, por meio das estratégias Consultório e Redenção na Rua, foram cadastradas 16.268 pessoas em situação de rua para atenção e cuidado em saúde. Além dos cadastros, foram realizadas 298.330 abordagens, com escuta qualificada e formação de vínculo, 193.201 atendimentos multiprofissionais, 33.459 ações de prevenção da Covid-19 e 513.173 questionamentos para identificação de sintomas. No mesmo período, houve 47 óbitos de pessoas em situação de rua com diagnóstico confirmado da Covid-19. Todos estavam em acompanhamento da equipe do Consultório na Rua.

Se você quer conferir outros conteúdos como este aproveite e acesse a home de nosso site.

Reportagem: Da redação. Foto: Divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui